sábado, 11 de outubro de 2008

Sarah Palin: não é flor que se cheire...

-
Conclusões de um inquérito parlamentar
Sarah Palin cometeu abuso de poder no Alasca

-
A candidata republicana à vice-presidência norte-americana, Sarah Palin, cometeu um abuso de poder no quadro das suas funções enquanto governadora do Alasca. Palin dispensou um funcionário estadual que se recusou a despedir da polícia o agente Michael Wooten, ex-cunhado de Palin que se divorciou de forma litigiosa da sua irmã. Esta foi a conclusão de um inquérito parlamentar divulgado esta madrugada (hora portuguesa).

Num relatório de 263 páginas entregues pelo Conselho Legislativo do Alasca, após seis horas de audições à porta fechada, o responsável pelo inquérito, Steve Branchflower, indicou que Sarah Palin é culpada de violação das regras éticas de Estado.

Os legisladores estatais investigaram se Palin tinha ou não ordenado o despedimento do comissário de segurança pública Walt Monegan, no passado dia 11 de Julho, por este ter resistido às pressões para dispensar os serviços de Michael Wooten, depois deste agente se ter divorciado da irmã da governadora após um aguerrido processo judicial.

O relatório final conclui que a disputa da família Palin com Wooten não foi a única razão para o despedimento de Monegan, mas foi um “factor que contribuiu” para isso, segundo Branchflower. Sarah Palin sempre negou estas acusações e a campanha McCain-Palin sublinha que a candidata à vice-presidência republicana "agiu de maneira adequada e em respeito pela lei", reiterando que este caso foi conduzido por partidários de Obama.

Nota do Papa Açordas: Depois do efeito que causou quando foi apresentada por McCain, como sua candidata à vice-presidência, veio agora a decepção para as hostes republicanas. Afinal, Sarah Palin não é recomendável e só prejudica a campanha do candidato republicana. Na minha terra diz-se: não é flor que se cheire!!!...

-

2 comentários:

RUBICÃO disse...

Os meios não justificam os fins. Salvo raras excepções.
Por exemplo: ninguém esperaria que se nacionalizassem bancos, e no entanto os contribuintes é que vão pagar a reabilitação de bancos que se calhar amanhã não lhes dá a mão em caso de não poder pagar as prestações do crédito imobiliário.
As eleições americanas traz-nos sempre muita politiquice de vão de escada.
Um abraço.

António de Almeida disse...

-Um erro de casting por parte da ala conservadora do partido Republicano, quiseram impôr alguém a McCain, mas se Palin era o melhor que tinham...