sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Alerta máxima en Corea de Sur

-


Alerta máxima en Corea de Sur
 
                           Soldados surcoreanos y vehículos auto-propulsados K-55 de la 20 División del Ejército participan en ejercicios de entrenamiento contra posibles ataques de Corea del Norte. (Jeon Heon-Kyun / EFE)-(20minutos.es)

El lujo atraca en Miami

-


El lujo atraca en Miami
 
                            Los nuevos yates boutique y de súper lujo con diseños de joya inalcanzable atracan en Miami Beach, que acoge hasta el próximo lunes una de las ferias estrella de la náutica más avanzada y la última tecnología de EE UU. (Emilio López / EFE)-(20minutos.es)

 

Teatro en miniatura

-


Teatro en miniatura
 
                           El artista escénico español David Espinosa, creador de la pieza Mi gran obra, interpreta una escena, en el Centro Cultural de España de Montevideo (Uruguay). En esta obra, el español utiliza "actores" en miniatura para crear un espectáculo "a escala" para cuestionar los proyectos artísticos que manejan altos presupuestos. (Juan Ignacio Mazzoni / EFE)-(20minutos.es)

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Cartoon

-
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 11-02-2016
 


In Jornal de Comércio

Monedas con el papa

-

 
                                                    Monedas con el papa
 
                            Moneda conmemorativa de la visita del papa Francisco a México. Las autoridades eclesiásticas del país ofrecerán al pontífice, el próximo sábado, dos modelos diferentes. (Casa de la Moneda de México / EFE)-(20minutos.es)


 

Nos outros blogs

-
 Jumento do dia
    
Nuno Magalhães, deputado do CDS

Há limites para a falta de honestidade e para o oportunismo político mas essa não aprece ser a praia de Nuno Magalhães. Atribuir ao actual governo quaisquer responsabilidades no aumento ou na redução do desemprego revela uma grande falta de respeito pela inteligência dos portugueses, domínio em que o deputado do CDS é campeão.

Só alguém pouco honesto considera que ignora que uma boa parte do último trimestre foi governado pro Passos Coelho e que durante esse período o actual governo pouco ou nada fez. Atribuir um aumento estatístico do desemprego ao novo governo mostra uma forma execrável de fazer política.  Como o desemprego corresponde aos pedidos de emprego porque não concluir que os desempregados que tinha desistido de procurar emprego nos centros de desemprego voltaram a ter esperança tendo voltado a inscrever-se? É uma hipótese, não acha Nuno?

«Nuno Magalhães, do CDS, comentou ao final desta manhã, à saída da conferência de líderes parlamentares na Assembleia da República, os números do desemprego divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O INE realça que o último trimestre de 2015 terminou com uma taxa de desemprego na ordem dos 12,2%, valor que marca uma subida de 0,3% em relação ao trimestre anterior.


“Números saídos hoje vêm ao encontro do que o CDS sempre disse”, afirmou Nuno Magalhães aos jornalistas, acrescentando de seguida que “quando houve confiança dos investidores, conseguimos reduzir uma taxa superior a 17% para uma taxa inferior a 12%, nos primeiros três trimestres”.» [Notícias ao Minuto]

In "O Jumento"
 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

'Estentrodo', una esperanza para los tetrapléjicos

-


'Estentrodo', una esperanza para los tetrapléjicos
 
                           El doctor Nicholas Opie muestra un electrodo llamado estentrodo, en el Royal Hospital, en Melbourne (Australia). Un revolucionario aparato del tamaño de una cerilla permitirá que los pacientes que sufren de parálisis puedan caminar mediante las órdenes que emiten sus propios cerebros, informaron fuentes académicas australianas. (David Crosling / EFE)-(20minutos.es)


 

É preciso ter lata

-
Um país que se limita a discutir onde gastar os milhões que sobram depois de pagar juros equivalentes a 10% do total de despesa pública, e depois de cortar outros tantos exigidos por Bruxelas, será sempre um país amputado do seu poder de decisão. O campo das nossas escolhas é cada vez mais curto e, mais tarde ou mais cedo, chegaremos à conclusão que não tem espaço suficiente para a democracia.
Sempre foi claro para o Bloco que os constrangimentos externos prejudicariam o país. E não se pense que eles existem para garantir a nossa boa saúde orçamental. Se assim fosse, não teriam pressionado a venda do Banif ao Santander depois da injeção de mais 2000 milhões de euros. O que preocupa os mercados, a Comissão e a Direita, é a sua sobrevivência. Impedir que uma estratégia alternativa veja a luz do dia e suceda é a única forma de justificar tanto sofrimento e destruição. É também a forma de proteger aqueles que, tendo causado a crise, continuam a ser demasiado grandes para falir.
A primeira versão do Orçamento respeitava estes constrangimentos, mas tinha a vantagem de repor uma grande parte dos rendimentos (e direitos) retirados durante os últimos anos. O aumento do salário mínimo, do CSI, do RSI, o descongelamento das pensões, a reposição dos cortes salariais, a eliminação da sobretaxa ou a introdução de uma medida automática para baixar a conta da luz a quem mais precisa. Estas são as razões que nos fizeram assinar um acordo com o PS, sabendo que parar o empobrecimento é, ainda assim, muito pouco.
O texto que voltou de Bruxelas é pior. Em primeiro lugar, porque as contas iniciais não previam que o anterior Governo tivesse antecipado para 2015 receitas de 2016. A farsa da saída limpa custou 677 milhões, martelados nas contas, a pagar por quem viesse a seguir. Depois, houve Bruxelas, a sua intransigência, inventando novas questiúnculas técnicas quando todos sabemos que o problema de fundo é político, e de poder. Ninguém fez com França ou Espanha o que fizeram com Portugal, ou encontrou por lá Direita tão subserviente.
O resultado final é, como disse, pior. Dos 1391 milhões que seriam devolvidos, 655 milhões tiveram de ser compensados com mais impostos sobre combustíveis, veículos e tabaco. É uma cedência e é indefensável. Mas, ao contrário do que a Direita diz, não é um "brutal" aumento de impostos, e não é um ataque aos que menos têm. Quem vive do salário mínimo, ficará melhor, tal como a maior parte das famílias que pagam IRS, e os idosos mais pobres.
Quanto ao PSD e CDS. Retiraram o CSI a 70 mil idosos, o RSI a 170 mil pessoas, entre elas mais de 50 mil crianças. Aumentaram o IRS em 3940 milhões e até, imagine-se, o imposto sobre os combustíveis. Agora dizem-se "preocupados". É preciso ter lata.(Mariana Mortágua - Jornal de Notícias)

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Colecta para reconstruir casas

-


Colecta para reconstruir casas
 
                           Dos personas depositan su dinero en una urna situada en la ciudad cisjordana de Ramalla (Palestina), con motivo de la campaña benéfica para reconstruir las casas destruidas por el ejército israelí. (Atef Safadi / EFE)-(20minutos.es)

Bombonas artísticas

-


Bombonas artísticas
 
                           Aspecto de la obra Las multitudes silenciosas 2010 de Amal Kenawy, que forma parte de Looking at the World Around You: Contemporary Works from Qatar Museums, la colección de arte árabe moderno y contemporáneo más importante del mundo, que llega por primera vez a España en una exposición en la Fundación Banco Santander. (Juan Carlos Hidalgo / EFE)-(20minutos.es)


 

Lista mensal de Aposentados e Reformados da CGA mês de MARÇO/2016

-
» Lista mensal de Aposentados e Reformados:

março 2016 (PDF)
 
Aviso n.º 1462/2016, Diário da República n.º 26/2016, 2.ª Série, de 2016-02-08.
 

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Nos outros blogs

-
 Jumento do dia
    
Passos Coelho

Passos Coelho já não disfarça a sua oposição á reposição dos vencimentos dos funcionários públicos tal como ordenou o Tribunal Constitucional e ele próprio prometeu fazer, ainda que se soubesse que se tratava de mais uma das suas mentiras. Agora até diz que repor os vencimentos é "distribuir dinheiro". Acabar com a carreira deste senhor começa a ser uma questão de higiene para o país.

«"Sai-nos muito cara a política a política da fanfarrice (...) na educação sempre que se quis um sistema mais facilitista e menos exigente, de andar a gastar dinheiro em coisas que não ajudam ao crescimento do país, a ideia de que o que temos é de agradar e distribuir dinheiro quando muitas vezes ficamos muitos anos a pagar esse dinheiro sem que ele possa gerar um emprego sustentável e riqueza", declarou num discurso dirigido à plateia.» [DN]
 
In "O Jumento"
 
 

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Cartoon

-
Cartoon ELIAS O SEM ABRIGO DE R. REIMÃO E ANÍBAL F. 



In "Jornal de Notícias"

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

EL 'MODERN EXPRESS' SE APROXIMA A BILBAO

-


EL 'MODERN EXPRESS' SE APROXIMA A BILBAO

El mercante de bandera panameña Modern Express, que se encontraba a la deriva desde hace una semana en el Golfo de Vizcaya tras sufrir una fuerte escora, es remolcado hacia el puerto de Bilbao donde se espera su entrada en las próximas horas. (Luis Tejido / EFE)-(20minutos.es)

EDUCANDO CONCIENCIAS

-


EDUCANDO CONCIENCIAS

Los pequeños Abdalá (izda), de 12 años, y Dania (dcha), de 10, se sientan en un pupitre instalado en una recreación de su colegio bombardeado en Alepo (Siria), a las puertas del Parlamento, en Londres (Reino Unido), durante un evento organizado por Save the Children para concienciar sobre la importancia de la educación para los niños refugiados. (Facundo Arrizabalaga / EFE)-(20minutos.es)

João Galamba reage às exigências 'extra' da Comissão sobre Orçamento

-
Deputado socialista recorre às redes sociais para fazer a sua análise às palavras da Comissão Europeia sobre as negociações com Portugal para o novo Orçamento de Estado.
Através da sua página do Facebook, o socialista João Galamba reagiu às palavras de Juncker sobre as negociações para o novo Orçamento de Estado. O presidente da Comissão Europeia explicou que Bruxelas exigiu “mais esforços” e “medidas adicionais” ao Governo para que este conseguisse reduzir o défice estrutural, de modo a obter um parecer positivo.
Galamba reage às palavras de Juncker, que disse hoje rejeitar a ideia de que Bruxelas tem uma política de austeridade "estrita e estúpida", dizendo perentoriamente que as afirmações do responsável europeu “são falsas”.
“Basta olhar para a opinião da Comissão Europeia sobre os orçamentos de Itália, França, Áustria, Lituânia e, sobretudo, Espanha para se perceber que as regras parecem só ser aplicadas a Portugal. Todos esses países violam as regras de ajustamento estrutural. Todos esses países viram os seus Orçamentos aceites pela Comissão”, justifica.
O deputado socialista foca a sua atenção no caso espanhol, que diz ser “um escândalo”, e lembra que o nosso país vizinho “tinha de reduzir o défice estrutural em 1,2%, mas que o “aumentou em 0,2%”. “Espanha, que também está em procedimento por défices excessivos, tem o défice nominal e estrutural mais elevado do que Portugal, tem um desvio de 1,4 face às exigências europeias, mais do triplo de Portugal, e o seu orçamento...foi aprovado”, compara.
João Galamba termina a análise às palavras de Juncker lançando uma questão direta a Bruxelas: “Se o que está em causa são regras, como diz Juncker, por que carga de água é que aprovaram o OE de Espanha e dos outros quatro países que referi acima? E com que fundamento e legitimidade criam problemas a Portugal?”.(Notícias ao Minuto)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

'TUK TUK' SOLARES

-


'TUK TUK' SOLARES

Houk Kymia vende café desde su tuk tuk, un motocarro que funciona con energía solar para paliar los altos niveles de contaminación y combatir la pobreza, en Phnom Penh (Camboya). (Ricardo Pérez-Solero / EFE)-(20minutos.es)

EL CARNAVAL SE RÍE DEL 'CASO VOLKSWAGEN'

-


EL CARNAVAL SE RÍE DEL 'CASO VOLKSWAGEN'

Detalle de una carroza, que representa el escándalo de las emisiones de Volkswagen, preparada para el carnaval de Mainz (Alemania). (Fredrik von Erichsen / EFE)-(20minutos.es)

Miguel Relvas, diz-lhe alguma coisa?

-
Banco Efisa, diz-lhe alguma coisa? Era o antigo banco de investimentos do BPN e que está parado desde 2009. Está longe de ser um banco relevante no sistema, mas tem uma mais-valia: uma licença bancária para operar em Portugal, Moçambique, Angola e na América Latina, que foi mantida à custa da injeção de dinheiros públicos, cerca de 52 milhões desde 2014.
Em julho de 2015, já depois de ter vendido o BPN, o Estado decide vender também o Banco Efisa, que até aí se encontrava dentro da Parvalorem, o veículo criado para gerir os restos do BPN. O Efisa é assim entregue à Pivot por 38 milhões de euros.
Na altura pouco se sabia da Pivot, a não ser que congregava investidores angolanos, norte-americanos e portugueses. Ficámos, no entanto, na semana passada, a conhecer um pouco mais desta história.
Miguel Relvas, diz-lhe alguma coisa? Foi secretário de Estado da Administração Local em 2004, altura em que ajudou a Tecnoforma - em que esteve Passos Coelho como administrador - a montar a fraude dos aeródromos. Mais tarde tornou-se número dois do primeiro-ministro Passos, e ministro dos Assuntos Parlamentares até abril de 2013.
Miguel Relvas já tinha sido consultor do banco de investimento do BPN antes da nacionalização. Na altura, o deputado e administrador da Kapaconsult (que tinha como único cliente o Efisa) era crucial para abrir as portas da política e dos negócios no Brasil .
Em 2012, foi o seu Governo a nomear Francisco Nogueira Leite, ex-administrador da Tecnoforma com Passos Coelho, para presidente da Parvalorem. Para além de chamar outros quadros próximos da Tecnoforma, Nogueira Leite manteve homens da confiança de Oliveira e Costa em lugares críticos da empresa. E foi ele, enquanto responsável máximo da Parvalorem, a conduzir a venda do Efisa à Pivot em 2015.
Já fora do Governo, é Miguel Relvas quem aparece, mais uma vez, a prestar serviços de consultoria à Pivot. Mas na semana passada o consultor Relvas foi promovido a acionista, e pede agora ao Banco de Portugal que ateste a sua idoneidade para ser dono de um banco, o Efisa.
Miguel Relvas e idoneidade, uma contradição nos termos capaz de arrancar uma boa gargalhada a qualquer um se não corresse o risco de vir mesmo a ser declarada.(Mariana Mortágua - Jornal de Notícias)

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

ÚLTIMO INTENTO PARA ENDEREZARLO

-


ÚLTIMO INTENTO PARA ENDEREZARLO

El carguero panameño Modern Express a la deriva en alta mar en el golfo de Vizcaya, en Francia. El buque será "probablemente" trasladado a un "puerto refugio" en la costa norte española si los equipos de rescate logran enderezarlo en un último intento. (Loic Bernardin / Marine Nationale / EFE)-(20minutos.es)