quinta-feira, 24 de Julho de 2014

LA LECTURA Y LOS ANIMALES, BUENOS ALIADOS PARA EL VERANO

-
La lectura y los animales, buenos aliados para el verano

LA LECTURA Y LOS ANIMALES, BUENOS ALIADOS PARA EL VERANO


Varios niños observan junto a Gunther, un pastor alemán oficial canino del Departamento de Policía de Anaheim, las explicaciones de un oficial del Escuadrón Canino del Departamento de Policía. La charla, impartida en presencia de los padres de los pequeños en la Biblioteca Pública del Este de Anaheim, California (EEUU), forma parte del programa de verano Paws to Read, que incentiva a los niños a leer e interactuar con los animales. (Felipe Chacon / EFE)-(20minutos.es)



Fechos: Lisboa e Porto com menos bancos e Interior sem serviços

-
Os grandes centros urbanos estão a ficar sem agências bancárias. Em apenas três anos foram encerradas 550. Contudo, o Interior é a região do país que está a ficar mais desertificada, com o fecho de serviços públicos, como escolas e tribunais, noticia o Diário de Notícias.

Nos grandes centros urbanos, as agências bancárias têm vindo a diminuir e os serviços públicos fechar no Interior do País, deixando-o mais desertificado.

Lisboa e Porto são os distritos que mais perderam agências bancárias nos últimos três anos. Já Viseu é o distrito mais afetado pelo fecho de escolas do primeiro ciclo, enquanto Vila Real e Bragança são os mais afetados pelo encerramento de tribunais, avança hoje o Diário de Notícias.

No final do primeiro semestre de 2013 existiam em Portugal 5.688 instituições financeiras, menos 522 do que em 2010. A Associação Portuguesa Bancária (APB), em termos absolutos, o distrito de Lisboa viu 226 dependências, em termos relativos, o Funchal tem quase a mesma perda, a serem encerradas nos últimos três anos, e o Porto 92.

Relativamente aos cortes no Interior como tem acontecido com as escolas e tribunais, o geógrafo José Rio Fernandes revela que a preocupação reside no facto de “fecharem serviços públicos onde as alternativas ficam mais longe, o que significa dificuldades acrescidas para a população, que muitas vezes já é mais pobre”.(Notícias ao Minuto)

Notas do Papa Açordas: Assim, como pode haver desenvolvimento?... Este desgoverno é o pior que passou por Portugal!...

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

PEONZAS HUMANAS EN ANGUIANO

-
Peonzas humanas en Anguiano

PEONZAS HUMANAS EN ANGUIANO


Ocho danzadores de Anguiano (La Rioja) reviven esta centenaria tradición al lanzarse por una empinada cuesta empedrada, mientras bailan al son de la música encaramados a unos zancos de madera de 45 centímetros, en honor a su patrona, la Virgen de la Magdalena, en Anguiano. Este rito, en el que los danzadores parecen "peonzas humanas", está declarado Fiesta de Interés Turístico Nacional desde 1970, lo que ha dado a conocer este pequeño pueblo de unos 500 habitantes. (Raquel Manzanares / EFE)-(20minutos.es)


A sinistra relação das coisas

-
"As coisas parecem indicar que, no próximo dia 23, a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), na cimeira de Timor, vai ter o seu requiem. Cabisbaixos e servis, os governos dos países que constituíam aquela vasta sociedade abandonaram os princípios, as normas e os valores morais dos fundadores e cederam aos grandes interesses dos negócios. As manobras de bastidores estavam, há anos, em movimento, e o que era uma ideia límpida e um conceito nítido de colaboração entre países de fala igual foi tripudiada friamente. A entrada da Guiné Equatorial, antiga colónia espanhola, cujos costumes, cultura, ideologia, política e comportamento são contrários, e até opostos, aos da comunidade, não é só absurda: possui as características de uma usurpação. Nem o facto de quem manda no país ser antidemocrático, ou ademocrático, como queiram, impediu o resto da comunidade de se opor ou sequer recalcitrar.
O capitalismo desconhece a história, as características, os padrões específicos das nações, nem isso está nos seus objectivos, mas tem de existir um contrapoder que permita a existência, simultânea, da soberania e do desenvolvimento económico, cultural e social. O que está em causa, com a inserção da Guiné Equatorial na CPLP é a imposição do axioma neoliberal, e dos abusos mais sintomáticos de uma violência sem paralelo nos nossos dias.
É lamentável que os países instituidores da comunidade não se tenham oposto a este enredo, que nada tem que ver com princípios de solidariedade e muito menos com relações de língua. De um modo mais simples, digamos que o capitalismo também neste caso sai vencedor, pela rendição, pela subserviência e pela nova categoria de negligência dos governos. Tem-se visto, um pouco por todo o mundo, a que conduz esta indiferença gelada, e às ameaças reais que pesam em todos. Parafraseando Sophia, nós sabemos, temos informações, assistimos ao caos, e não queremos assumir as responsabilidades de uma decisão.
Os tentáculos da ganância, a ausência de um ideal progressista que se lhe obste, continuam a desembocar em múltiplas incertezas. O espectro da guerra paira como endemia. A selvajaria dos conflitos locais só o é porque descuidamos da natureza do que oculta. O abatimento do avião da Malaysia Airlines não é, somente, uma ignomínia pavorosa: indica que o mundo actual não conhece limites, e está associado à assunção de um novo paradigma, que temos de combater com energia, porque a nossa sobrevivência ética está em questão. Como se lê n"Os Irmãos Karamazov, de Dostoievki, "se Deus não existe, tudo é permitido". Deus como acto moral, Deus como espessura e dignidade humanas. Não é abusivo estabelecer relações entre as coisas: todas elas estão ligadas e obedecem a leis muito próprias."
(BAPTISTA BASTOS - Diário de Notícias)



terça-feira, 22 de Julho de 2014

SIGUE LA DESTRUCCIÓN EN GAZA

-
Sigue la destrucción en Gaza

SIGUE LA DESTRUCCIÓN EN GAZA


Un palestino pasa junto a lo que queda del edificio residencial Al Salam tras un bombardeo del Ejército israelí sobre Gaza capital, en la franja de Gaza. Al menos once personas perdieron la vida durante el bombardeo israelí de la pasada noche, mientras que docenas fallecieron en los combates entre los soldados israelíes y milicianos palestinos. La guerra ha costado ya la vida de cerca de 550 personas, en su mayoría civiles. (Mohammed Saber / EFE)-(20minutos.es)


Passos Coelho teve um desvio marxista

-
"Pedro Passos Coelho foi no princípio do mês a Moçambique. Lá, em discurso de Estado, congratulou-se: "Cerca de um milhão de euros de investimento direto português gerou em média 58 postos de trabalho, muito acima da média dos restantes investidores."
Pelas regras do pensamento económico que nos domina relacionar o valor de um investimento com o número de postos de trabalho parece coisa do passado, assim um bocado marxista, mas não serei eu a atirar uma pedra ao primeiro-ministro por cair em tentação socialista... Por mim é ótimo termos na governação alguém que pensa assim. Avante Passos!
Interessou-me, portanto, verificar se o Governo português aplica em Portugal a preocupação manifestada em Moçambique - lá as empresas portuguesas criaram um posto de trabalho por cada 17 241 euros que investiram.
Fui ver, então, o que se passou nas últimas semanas aos investimentos apoiados pelo Estado com isenções fiscais, vistos de residência gold, cedências de terrenos, financiamentos especiais, dispensa de auditorias, "simplificações" e uma cerimónia corta-fitas por Pires de Lima, Paulo Portas, o próprio Passos ou outro qualquer.
Temos a Altran, no Fundão, onde Portas anunciou 300 postos de trabalho a troco de 6,8 milhões de euros - 22 600 euros por cabeça. Não está mal, até parece Moçambique.
Temos a Monliz, em Alpiarça, onde um secretário de Estado validou 18 milhões de euros para criar 50 postos de trabalho - 360 mil euros por cada um. Para um salário médio de mil euros (superior ao salário médio nacional, que é de 971,5 euros) este valor dava para pagar durante 26 anos a cada trabalhador contratado.
Temos Pires de Lima na Unilever, em Santa Iria de Azoia: 30 milhões investidos, 80 novos postos de trabalho, 375 mil euros por cada um, o equivalente a 27 anos de salários a mil euros.
A easyJet, no Aeroporto Sá Carneiro: 74 milhões investidos, 80 postos de trabalho, 925 mil euros por cada um, o mesmo que 66 anos de salários. Pires de Lima sorriu.
E a Autoeuropa, a grande Autoeuropa onde o próprio Presidente da República esteve para ajudar a garantir mais 677 milhões de euros de investimento em 500 empregos, o que dá um milhão e 354 mil euros por trabalhador, o mesmo que 96 anos de salários pagos a cada um.
Poderíamos dispensar algum destes investimentos? Não. Mas o que fica por saber, perdido no segredo negocial, é se o apoio que o Estado dá a estas empresas é proporcional ao investimento ou é proporcional ao posto de trabalho criado. Com o que Passos disse em Moçambique, foi com certeza a segunda hipótese... Como? O leitor está a dizer-me que não? A sério!?..."
(Pedro Tadeu - Diário de Notícias)

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

DESCIENDE EL TURISMO CHINO EN SINGAPUR

-
Desciende el turismo chino en Singapur

DESCIENDE EL TURISMO CHINO EN SINGAPUR

Un grupo de turistas se fotografían en el parque Merlion, con la Singapore Flyer (i) y el Marina Bay Sands Casino (d) de fondo, en Singapur (Singapur). Según un informe del Departamento de Turismo de Singapur (STB), la llegada de turistas chinos ha descendido un 14% con respecto al año anterior debido a la nueva ley de turismo implementada en china el 2013. Pese a la caída en las llegadas, los visitantes chinos siguen siendo los que más gastan: 800 millones de dólares de Singapur (SGD), el equivalente a 476,5 millones de euros.         (How Hwee Young / EFE)-(20minutos.es)



Apenas cretinice?

-
"1 Na quarta-feira passada fiquei a saber que os reformados e aposentados não podem exercer qualquer tipo de funções públicas. E não, não se está a falar apenas de cargos executivos ou similares. Um homem, com quarenta anos de experiência na área dos serviços florestais, não pode integrar uma comissão estatal para estudar os problemas do setor; uma mulher, que toda a vida tenha trabalhado no Serviço Nacional de Saúde, não pode transmitir os seus conhecimentos a quem está agora encarregue de uma qualquer pasta da atividade; um gestor público aposentado está proibido de dar uma conferência numa universidade pública; um ex-quadro de um banco ligado ao Estado não pode ter um programa de patinagem artística na RTP.
Não, nada tem que ver com os problemas financeiros que o Estado português tem: os aposentados ou reformados não podem, pura e simplesmente, exercer qualquer tipo de funções em organismos ligados a entidades públicas, sejam pagas ou pro bono. Muito excecionalmente, e se forem autorizados pelo ministro das Finanças, podem fazê-lo e, mesmo assim, as pessoas ficam desde logo impedidas de receber a reforma. Ou seja, para trabalharem de borla, têm de prescindir da sua reforma...
Não, não há qualquer tipo de engano. Como, provavelmente, o caro leitor, eu também não fazia ideia desta profunda infelicidade e fui para ela alertado por Bagão Félix, no seu espaço de opinião na SIC Notícias - cuja opinião subscrevo e aplaudo. A aberração consta da Lei 11/2014 de 6 de março - diz muito sobre os nossos media e a oposição ela ter passado despercebida.
O anterior diploma, sobre o mesmo assunto, já proibia a remuneração por trabalho, o que já de si era uma infâmia. Um cidadão trabalharia meses a fio, ou semanas, ou o tempo que fosse, a preparar um qualquer documento ou estudo e nada receberia. É assim uma espécie de comunismo 3.0: o trabalho para o Estado tem de ser gratuito, os indivíduos não interessam, o coletivo é tudo. Em frente, demos de barato que a crise justifica tudo, até termos idiotas funcionais ou patetas deslumbrados a fazer leis.
Afinal a questão - ficámos desde dia 6 de março esclarecidos, sabendo que até de borla os reformados e aposentados não podem trabalhar para nada que cheire sequer a Estado - nada tem que ver com os já referidos atuais problemas financeiros do Estado português. Temos assim duas opções: ou achamos que os representantes dos cidadãos, que fizeram e aprovaram esta lei, e o Presidente da República que a promulgou, tiveram um momento de pura cretinice ou pensamos que há aqui um pensamento.
A segunda hipótese, que com boa vontade apelido de pensamento, partirá do princípio de que um reformado ou aposentado é um peso morto para a comunidade. Nenhuma da sua experiência, do seu trabalho de décadas em prol do bem comum (esse estranhíssimo conceito para quem nos governa) pode ser aproveitado pelas mais diversas organizações ligadas ao Estado, que deve ser até criado um cordão de sanidade entre esses inúteis e a coisa pública. Talvez isto venha no seguimento de uma mentalidade, para aí promovida por uns miúdos que conhecem o mundo através de umas badanas de livros e que nunca saíram do conforto de uma escola qualquer, que afirma que foram os mais velhos, esses bandalhos que agora nos roubam o dinheiro em forma de reformas e pensões, a pôr em causa os seus empregos e os seus direitos. Talvez haja um plano pra suprimir uma geração inteira, uns velhos que têm o descaramento de pedir o que lhes é de direito. Talvez haja quem pense que uma comunidade pode subsistir e prosperar sem a desejável transmissão de experiências, dos ensinamentos das vitórias e das derrotas. Que bela comunidade querem construir, ou melhor, será que percebem sequer a ideia de comunidade?
Prefiro a cretinice. Prefiro pensar que, de facto, houve apenas um momento da mais absoluta cretinice que incluiu os governantes proponentes da lei, os deputados que aprovaram este absurdo, e o Presidente da República que a promulgou.
2 A lei acima referida pode, através de um olhar radiosamente otimista, ser considerada apenas um disparate. Já a marcação, em segredo, de um exame aos professores para dali a cinco dias, com o objetivo de evitar qualquer tipo de reação da classe e pondo em causa as vidas das pessoas, é um ato evidentemente nojento, indigno de um governo e desrespeitador dos mais básicos direitos.
Em qualquer democracia minimamente madura, um ministro que se atrevesse a fazer uma coisa destas era imediatamente posto fora do Governo, mas, de facto, já se ultrapassaram todos os limites."
(Pedro Marques Lopes - Diário de Notícias)

FLORES PARA LAS VÍCTIMAS DEL MH17

-
Flores para las víctimas del MH17

FLORES PARA LAS VÍCTIMAS DEL MH17


Una niña observa los ramos de flores apilados ante la Embajada de Holanda en Kiev (Ucrania). Un montón de ramos de flores y muñecos de peluches se amontonan a las puertas de las sede diplomática en memoria de las víctimas de la tragedia del vuelo MH17 de Malaysia Airlines en el que murieron 298 personas tras estrellarse el aparato en el este de Ucrania. (Dave Hunt / EFE)-(20minutos.es)


EL SAPO DORADO


-
El sapo dorado

EL SAPO DORADO


Un grupo de turistas rema junto al 'Sapo dorado', una gigantesca instalación hinchable, obra del artista Guo Yong Rao, que puede verse en el lago del parque Yu Yuan Tan Park, en Pekín (China). La obra, de 22 metros de alto, 34 metros de largo y 21 de ancho, representa a uno de los símbolos chinos de la prosperidad y la riqueza. (Rolex dela Pena / EFE)-(20minutos.es)


Militantes socialistas pedem para sair do partido de Seguro

-
A socialista Teresa Portugal lançou uma petição na internet dirigida aos militantes do PS que querem ser expulsos. Em causa, a solidariedade com as expulsões injustas e a discordância de eleições com fichas falsas.

O PS não limpa dos cadernos eleitorais os militantes fictícios, mas limpa do partido quem acusa a existência de irregularidades. É contra esse comportamento que se insurge a petição lançada por Teresa Portugal. "Damos voz ao nosso repúdio coletivo por este delírio persecutório, injustificável e condenatório da liberdade de opinião", lê-se no documento.

Ao JN, a autora acrescenta que "no PS de Seguro, a história é ao contrário: mantêm-se os prevaricadores e pune-se quem defende a verdade. É revoltante e inadmissível", afirma. A petição "é um ato contra a grave degradação da vida política no PS", diz Portugal, que também pede a suspensão das eleições internas (5 e 6 de Setembro) com base em militantes que garante não existirem.(Jornal de Notícias)

Notas do Papa Açordas: Ah, se pudesse, Seguro expulsava do PS todos os que votam em António Costa...

sábado, 19 de Julho de 2014

PS: Alegre pede fim imediato de "delírio persecutório" em Coimbra

-
O ex-candidato presidencial Manuel Alegre apelou hoje ao secretário-geral do PS e aos dirigentes "históricos" socialistas para que ponham imediatamente fim ao "delírio persecutório" de expulsões no PS/Coimbra e aos métodos "inquisitoriais e estalinistas" contra militantes.

Em declarações à agência Lusa, Manuel Alegre disse ter tomado conhecimento de que foram expulsos do PS os investigadores universitários Pedro Bingre e Elísio Estanque, e o antigo presidente do União de Coimbra Júlio Ramos - um dia depois de a ex-coordenadora da secção da Sé Nova do PS/Coimbra Cristina Martins também ter sido expulsa deste partido.

Nas últimas eleições autárquicas, Pedro Bingre, Elísio Estaque e Júlio Ramos apoiaram um movimento independente que concorreu à Câmara Municipal de Coimbra.

"Elísio Estaque e Pedro Bingre são dois dos mais ilustres intelectuais de Coimbra e do país e Júlio Ramos é uma grande figura da cidade. Em 2006, candidatei-me à Presidência da República apoiado pelo Movimento de Intervenção e Cidadania (MIC), do qual sou presidente do Conselho de Fundadores, e contra o candidato oficial do PS, mas não fui expulso do PS", observou o ex-candidato presidencial.

Segundo Manuel Alegre, as mais recentes três expulsões no PS de Coimbra motivam um sentimento de repúdio e um apelo dirigido ao secretário-geral, António José Seguro, e a todos os dirigentes "históricos" deste partido.

"Apetece-me pedir para que me expulsem também a mim, porque não me sinto bem num partido regido por métodos inquisitoriais e estalinistas, que põem em causa a sua natureza de partido da liberdade. 

Faço um apelo ao secretário-geral do PS e a todos os dirigentes históricos do PS para que atuem no sentido de pôr fim a este delírio persecutório, que não é tradição do PS", acentuou o membro do Conselho de Estado.

Ainda de acordo com Manuel Alegre, "não faz sentido que, num momento em que o PS prepara eleições primárias" abertas a simpatizantes, tendo em vista a escolha do seu candidato a primeiro-ministro, "estejam a ser tomadas atitudes contraditórias com este sinal de abertura à sociedade".(Notícias ao Minuto)

Notas do Papa Açordas: Querem cativar simpatizantes e expulsam militantes?!...


sexta-feira, 18 de Julho de 2014

ESCULTURA DE ARENA EN HOMENAJE A LAS VÍCTIMAS DEL MH17

-
Escultura de arena en homenaje a las víctimas del MH17

ESCULTURA DE ARENA EN HOMENAJE A LAS VÍCTIMAS DEL MH17


El artista Sudarshan Pattnaik da los últimos toques a una escultura de arena titulada Vergüenza para la humanidad, que representa el avión de Malasyan Airlines que se estrelló ayer en Ucrania oriental, supuestamente derribado por un misil, en la playa de Puri, en la India. El siniestro ha costado la vida a 298 personas, entre ellas 173 holandeses. (EFE)-(20minutos.es)


RESTOS DEL AVIÓN DERRIBADO EN UCRANIA

-
Restos del avión derribado en Ucrania

RESTOS DEL AVIÓN DERRIBADO EN UCRANIA


Restos del fuselaje del avión Boeing 777, de la aerolínea Malaysia Airlines, esparcidos en una localización del este de Ucrania cerca de Donetsk, ayer. El presidente ruso, Vladímir Putin, dijo que la catástrofe del avión malasio que se estrelló en el este de Ucrania, supuestamente derribado por un misil, requiere una investigación "escrupulosa y objetiva". (Photomig / EFE)-(20minutos.es)


quinta-feira, 17 de Julho de 2014

ATENTADO SUICIDA EN EL AEROPUERTO DE KABUL

-
Atentado suicida en el aeropuerto de Kabul

ATENTADO SUICIDA EN EL AEROPUERTO DE KABUL


Un grupo de suicidas con bombas ha atacado el Aeropuerto Internacional de Kabul, donde se inició un enfrentamiento con fuerzas armadas afganas en el que murieron los cuatro atacantes. En la imagen, las fuerzas de seguridad afgana revisan el lugar del atentado. (Jawad Jalali / EFE)-(20minutos.es)


Legislação: Bagão Félix critica lei que impede pensionistas de exercer funções

-
No seu espaço de comentário semanal, na SIC Notícias, Bagão Félix criticou uma lei, aprovada a 6 de março deste ano, que impede os pensionistas do Estado de exercer funções, ainda que em regime 'pro bono', em entidades públicas.

Falando à antena da SIC Notícias, Bagão Félix criticou a lei 11/2014, aprovada a 6 de março deste ano, que impede pensionistas do Estado de exercerem funções em entidades públicas, incluindo empresas públicas. O alerta do ex-governante foi em particular para o facto de as restrições se aplicarem mesmo em serviços 'pro bono'.

É no artigo 78º que se encontra o ponto crítico para o ex-ministro: “os aposentados, reformados, reservistas fora de efetividade e equiparados não podem exercer funções públicas para quaisquer serviços da administração central, regional e autárquica, empresas públicas, entidades públicas, entidades públicas empresariais”, pode ler-se na lei que deixou o antigo ministro surpreendido por ter "passado despercebida".

Para Bagão Félix, trata-se do “cúmulo de estupidez legislativa”, já que na sua perspetiva a lei abrange “qualquer tipo de atividade, com qualquer duração”, independentemente de ser ou não remunerada. “Um país que desperdiça recursos dos mais velhos é indigno de um Estado de bem”, criticou ainda.

Dando o seu próprio exemplo, explicando que se afastou do Conselho Geral da Universidade de Évora, onde exercia funções 'pro bono', o antigo governante confessou que já se afastou do cargo e que no seu caso “foi avisado por um amigo” da legislação. Bagão Félix salientou ainda que, segundo a lei, ainda que a atividade seja exercida sem remuneração, a pessoa “pode perder” acesso à sua reforma durante o período em que exercer atividade.

Para o antigo ministro, o problema “não é uma questão de dinheiro”, mas sim aquilo que pensa ser uma forma de “considerar pessoas oficialmente inúteis”. Bagão Félix acrescentou ainda que esta “é uma forma pouco subtil de aplicar uma eutanásia social e profissional aos reformados”. (Notícias ao Minuto)

Notas do Papa Açordas: Mais um aborto da  "Cu-ligação) Coelho-Portas!...

quarta-feira, 16 de Julho de 2014

MISILES Y COHETES EN ISRAEL

-
Misiles y cohetes en Israel

MISILES Y COHETES EN ISRAEL


Lanzamiento de un misil del escudo antimisiles Cúpula de Hierro para interceptar un cohete lanzado desde Gaza sobre la ciudad de Ashdod, en el sur de Israel. (Abir Sultan / EFE)-(20minutos.es)


LOS TANQUES ISRAELÍES DISPARAN CONTRA GAZA

-
Los tanques israelíes disparan contra Gaza

LOS TANQUES ISRAELÍES DISPARAN CONTRA GAZA


Un tanque de las Fuerzas de Defensa de Israel dispara contra objetivos en la franja de Gaza desde la frontera israelí con Gaza. Al menos 205 los palestinos han muerto, en su mayoría civiles, y entre ellos cerca de 40 niños, y más de 1.500 han resultado heridos en la operación israelí Margen Protector en Gaza, que entra en su novena jornada. (Atef Safadi / EFE)-(20minutos.es)


LAS OBRAS DEL CANAL DE PANAMÁ, AL 76%

-
Las obras del Canal de Panamá, al 76%

LAS OBRAS DEL CANAL DE PANAMÁ, AL 76%


Vista panorámica de los trabajos de ampliación del Canal de Panamá, en el sector pacífico del Canal de Panamá. Los directivos de la Autoridad del Canal de Panamá (ACP) realizaron  una visita a las obras de ampliación de la vía interoceánica después de la cual informaron de que al momento se ha completado un 76% del proyecto. (Alejandro Bolívar / EFE)-(20minutos.es)


Que fazer com Portugal?

-
A experiência e os indicadores demonstram que o conceito de democracia, tal como o sonhámos ou concebemos, foi substituído por outro paradigma. O "cansaço democrático" tem muito que ver com uma ideia de passadismo, com a perda do "objecto estimado" trocado pela pressa da ganância e pela ascensão precipitada e com escassos princípios de uma geração "da insignificância." A crise europeia dos partidos teria, inevitavelmente, de se reflectir, pelos motivos apontados, em Portugal e nas organizações políticas tradicionais.
O PS está cindido porque a própria natureza das suas estruturas, a ausência de uma ideologia "de esquerda", e o abandono das velhas bandeiras por dirigentes pouco ou nada interessados em combater o "sistema", conduziram a um estado cataléptico. O pobre António José Seguro tem dado uma ajuda a esta insalubridade, mas ele não é causa, é resultado, e manifesta módica fibra em alterar o que está. António Costa provém de outra leva, e a apreensão que provoca, na direita e adjacências, surge como uma espécie de pecado capital. O susto que tem causado é semelhante àquele que o PREC ateou nos esquemas tradicionais de poder. O que não é despiciendo, tendo em conta o amorfismo em que vivemos. Mas, tenham calma, as águas voltarão a estar quedas. Os sinais são esses.
O PSD, historicamente um aterrador saco de lacraus, está mais dividido do que aparenta. E a Dr.ª Manuela Ferreira Leite faz-nos, pontualmente, o diagnóstico da situação, e esclarece-nos, sem rebuço nem dubiedade, estarmos a ser governados por um bando de mentirosos e de ineptos sem perdão. Haja Deus e haja Freud!
O Bloco de Esquerda, agrupamento simpático mas fervorosamente desorientado, vai-se desfazendo aos poucochinhos. A "linha" Miguel Portas, que ninguém em seu perfeito juízo sabe rigorosamente o que seja, ganhou outra aliada, com a dissidência de Ana Drago do interessante agrupamento. Sequer se vislumbra ou se adivinha o que virá a seguir, mas a prever pelas declarações de Drago, veemente e severa, ou o Bloco se coliga com o PS, ou não será. Induz-se que a direcção bicéfala pretende aliar-se, isso sim, ao PCP, e as reuniões havidas entre dirigentes de ambos os partidos caucionam as apreensões dos representantes da "linha" Portas.
Está tudo a desconchavar-se, e as referências que tinham alimentado os sonhos, os combates e as esperanças de gerações e gerações foram varridas pela ausência de responsabilização dos "tempos novos". Estes, propagandeados como bonançosos, depois dos "ajustamentos", oferecem o vazio e a indiferença como sinónimos de tranquilidade. E não assinalam a razão fundamental do arquétipo: a perda das lógicas democráticas. É a uma nova tragédia o que estamos a assistir.
(Baptista Bastos - Diário de Notícias)