domingo, 9 de agosto de 2015

Pais facebookianos

-
"Numa sociedade em que as crianças são cada vez mais escassas, aumenta, na mesma proporção, a preocupação securitária que avalia os riscos a que estão expostas. Muitas vezes com exagero. Um jogo de futebol mais rijo que rasgou as calças e feriu um joelho torna-se indignação com direito a notícia porque a escola permitiu, não controlou. Tanta escassez de crianças torna cada perigo público numa ameaça que mobiliza pais e comunidades escolares. Por outro lado, a desvalorização dos tempos livres e a ausência de espaço público apropriado vão inibindo uma das ferramentas mais poderosas na educação de alguém: aprender a brincar. Esquecemo-nos que brincar é uma aula que organiza os afetos, que constrói a amizade, o espírito de grupo, a vivência de experiências em liberdade sem a obrigatoriedade do programa escolar. Aprender a brincar é um dos momentos mais importantes do crescimento porque avalia o risco e aproxima amigos. O tempo livre, nas mãos imbecis dos programadores da educação, é um intervalo onde surgem ameaças, e os pais vão na conversa. Menino ou menina bem-comportadinhos estão em casa, agarrados à consola de jogos ou viajando pelas redes sociais. Na solidão do seu quarto, teclando, ignorando o valor do corpo para o conhecimento, ficcionando conquistas e amizades que não passam de imagens. Algumas delas falseando a realidade. Esta solidão tornou-se o terreno propício para o disfarce, para a cobardia de criminosos que se aproveitam da invenção tecnológica para inventar vidas que não existem. E muitas são as crianças, crédulas, imaginando que aquela imagem reproduz a realidade, que caem na ratoeira. Predadores sexuais, pedófilos, psicopatas surgem na rede em angélicas fotos de outros meninos, mentindo sobre quem são, seduzindo, atraindo, aproveitando a imaginação dos mais inocentes. Foi notícia, esta semana, uma menina de 15 anos assassinada por um destes impostores. São milhares as fotos intercetadas pelas polícias, de crianças que se despiram, em posições obscenas, por vezes fugindo de casa à procura do príncipe encantando que, afinal, é um monstro. Filhos menores não são amigos. São filhos. É nossa obrigação tutelá-los, desembaraçá-los dos perigos que a falsa ilusão de estarem sozinhos parece garantir. Muitos destes meninos são, afinal, os mais expostos, porque não brincaram, nunca lhes foi ensinado a medir o risco. Infelizmente!
(Francisco Moita Flores - Correio da Manhã)

1 comentário:

feliciano disse...

BANDALHEIRA: pessoal que não se preocupa com a construção duma sociedade sustentável (média de 2.1 filhos por mulher)... critica a repressão dos Direitos das mulheres... todavia, em simultâneo, para cúmulo, defende que... se deve aproveitar a 'boa produção' demográfica proveniente de determinados países [nota: 'boa produção' essa... que foi proporcionada precisamente pela repressão (+- úteros ambulantes) dos Direitos das mulheres - ex: islâmicos]... para resolver o deficit demográfico na Europa!?!?!
.
.
.
Anexo:
AUTARCAS EM GRAVE DESLEIXO
{uma riqueza que as regiões/sociedades não podem deixar de aproveitar}
.
.
-> Muitas mulheres heterossexuais não querem ter o trabalho de criar filhos... querem 'gozar' a vida; etc;
-> Muitos homens heterossexuais não querem ter o trabalho de criar filhos... querem 'gozar' a vida; etc;
CONCLUINDO: é uma riqueza que as sociedades/regiões não podem deixar de aproveitar - a existência de pessoas (homossexuais ou heterossexuais) com disponibilidade para criar/educar crianças.
.
---> Já há mais de dez anos (comecei nos fóruns clix e sapo) que venho divulgando algo que, embora seja politicamente incorrecto, é, no entanto, óbvio:
- Promover a Monoparentalidade - sem 'beliscar' a Parentalidade Tradicional (e vice-versa) - é EVOLUÇÃO NATURAL DAS SOCIEDADES TRADICIONALMENTE MONOGÂMICAS...
{ver blogs http://tabusexo.blogspot.com/ e http://existeestedireito.blogspot.pt/}
.
.
.
P.S.
Tal como eu explico no blog «http://tabusexo.blogspot.com/» -> o Tabu-Sexo não se tratou de um mero preconceito... foi, isso sim, uma estratégia que algumas sociedades adoptaram no sentido de conseguirem Sobreviver... leia-se: o Tabu-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor Rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade... leia-se, o verdadeiro objectivo do Tabu-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!
.
P.S.2.
Uma sociedade/região, para sobreviver, precisa de (como é óbvio ) possuir a capacidade de renovação demográfica.
.
P.S.3.
Existem autoridades de sociedades/regiões (que estão sem capacidade de renovação demográfica) em desleixo:
- não monitorizam/motivam/apoiam uma riqueza que não podem deixar de aproveitar -> a existência de pessoas (homossexuais ou heterossexuais) com disponibilidade para criar/educar crianças.
.
P.S.4.
Mais, existem autoridades de sociedades/regiões (que estão sem capacidade de renovação demográfica) que são cúmplices de 'globalization lovers' nazis.
.
P.S.5.
Nazismo não é o ser 'alto e louro', bla bla bla,... mas sim... a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!
Existem 'globalization-lovers' (que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa), e existem 'globalization-lovers' nazis (estes buscam pretextos para negar o Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones).
.
P.S.6.
Uma NAÇÃO é uma comunidade duma mesma matriz racial onde existe partilha laços de sangue, com um património etno-cultural comum.
Uma PÁTRIA é a realização de uma Nação num espaço.
.
.
.
Anexo 2:
Já há alguns anos que aqui o je vem divulgando Direitos que considera serem importantes:
1- O Direito à Sobrevivência de Identidades Autóctones : ver blog "http://separatismo--50--50.blogspot.com/".
2- O Direito à Monoparentalidade em Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas: ver blog "http://tabusexo.blogspot.com/".
3- O Direito ao Veto de quem Paga: ver blog "http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/".